Família em debate em seminário nacional que acontece no Rio de Janeiro, em novembro

O Seminário Nacional “A família no Brasil hoje, novas ideias, novas
práticas” irá reunir, em dois dias, na cidade do Rio de Janeiro, acadêmicos,
gestores, trabalhadores sociais e demais envolvidos no tema do trabalho com
famílias de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade.
Organizado no formato de mesas redondas e Conferências, irá discutir as
novas práticas no campo da garantia de crianças e adolescentes ao direito a
convivência familiar e comunitária, alem de apresentar as mais recentes
teorias desenvolvidas neste campo nas diferentes universidades brasileiras.

Também irá contar com conferencistas internacionais de grande renome na
área, como o terapeuta de família canadense Guy Asloos (uma das maiores
referências do trabalho com famílias da atualidade) e a Psicóloga italiana
Vanna Puviani (especialista em terapia sistêmica e docente da Universidade
de Bologna). Ambos estarão lançando seus mais recentes livros no Seminário.

Para Claudia Cabral, diretora executiva da Associação Brasileira Terra dos
Homens, o evento será importante para aprofundar e discutir as novas
práticas no campo da garantia de crianças e adolescentes ao direito a
convivência familiar e comunitária, “Alem de apresentar as mais recentes
teorias e práticas desenvolvidas neste campo nas diferentes universidades e
organizações brasileiras”.

O Seminário Nacional “A família no Brasil hoje, novas ideias, novas
práticas” é realizado em parceria com o Unicef, o Instituto C&A, o Instituto
Camargo Corrêa e a Faculdade Cândido Mendes. As inscrições podem ser feitas
pelo email terradoshomens@terradoshomens.org.br ou pelo telefone (21)
2524-1073, ramal 24.

AGENDA:

Evento: Seminário Nacional “A família no Brasil hoje, novas ideias, novas
práticas”

Data: 22 e 23 de novembro de 2011

Horário: manhã (9h às 13h) e tarde (14h às 18h)

Local: Faculdade Cândido Mendes - Teatro João Theotonio

(Rua da Assembléia, 10 - Centro - Rio de Janeiro/RJ)

Inscrições e informações: As inscrições serão no valor de R$100,00 (todo o
Seminário) ou R$60,00 por dia e poderão ser feitas pelo e-mail
terradoshomens@terradoshomens.org.br ou pelo telefone (21) 2524-1073, ramal
24. Vagas limitadas.

Informações à Imprensa:

Leonardo Leal – (21) 2524-1073 / (21) 8733-6341

leonardoleal@terradoshomens.org.br

Xuxa Meneghel representou a Rede Não Bata, Eduque na abertura de Seminário na Câmara dos Deputados 
Nossa porta-voz, Xuxa Meneghel, emocionou as pessoas na abertura do Seminário sobre Experiências de Legislação Contra Castigos Corporais de Crianças e Adolescentes. O encontro abordou a urgência de uma reforma legal que proteja integralmente às crianças e adolescentes com os castigos corporais e tratamento humilhante, através da aprovação do projeto de lei nº 7672/2010. 
Foram apresentados os resultados positivos dos 31 anos da aprovação de lei semelhante na Suécia, primeiro pais do mundo a ter uma lei contra os castigos corporais, e a experiência de nossos vizinhos Uruguai, Venezuela e Costa Rica, que já tem leis sobre o tema.
 “Não é uma lei contra a palmada. É a lei do amor, do respeito. As crianças merecem ter os direitos que vocês (adultos) têm”. 
"… ainda vivemos em uma cultura atrasada quando o assunto é violência contra as crianças. Um dia a escravidão ou até mesmo bater em mulher foi normal …". 
“A gente não aprende com dor”. 
"Que as pessoas possam entender que a gente não quer se meter na vida dos outros, e sim fazer com que a criança tenha o direito de ser respeitada", 
"As pessoas dizem ‘quero acabar com a violência nas ruas’. Então acabe com a violência em casa", frases da porta- voz da Rede Não Bata, Eduque – a apresentadora Xuxa Meneghel, 
“O castigo físico não pode ser considerado pratica pedagógica”. 
“Um Brasil de paz depende desse projeto de lei”. 
“O projeto não prevê nenhuma intervenção familiar, não pressupõe qualquer alternativa que macule os responsáveis pelas crianças. Trata-se de uma lei sobre o amor e sobre o cuidado”, frases da Ministra de Direitos Humanos – Maria do Rosário.
 “Os castigos físicos têm efeitos devastadores e abrem espaço para outras formas de violações, como o abuso sexual”, frase da Rainha Silvia da Suécia, primeiro pais do mundo a ter uma lei sobre o tema e fundadora de uma organização internacional que trabalha contra o abuso e exploração sexual de crianças.
 “Muitas vezes as sandálias são utilizadas para bater as crianças. Vamos utilizá-las somente para o que foi fabricada. Vamos usar as sandálias para caminhar ao lado de nossas crianças”, frase da Secretaria Geral de Save the Children Suécia - Elisabeth Dahlin. 
“A infância é muito curta, porém os efeitos dos castigos corporais perduram por toda a vida”, frase do Coordenador da organização Cecodap, Venezuela – Carlos Trapani, A Venezuela foi o segundo país da região a aprovar uma lei pelos bons tratos e contra os castigos físicos. 
Durante o seminário a Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Manuela D`Avila (PCdoB/RS), compromete-se em instalar na próxima semana a Comissão Especial que discutirá o tema e o Presidente do Senado, José Sarney (PMDB/AP) prometeu agilizar a tramitação do projeto quando o texto chegar ao Senado. 
A Rede Não Bata, Eduque está muito feliz com os avanços e seguiremos em frente dispostos a dialogar com os parlamentares e a sociedade civil sobre o assunto e conseguirmos garantir o direito das crianças e adolescentes a serem educados e cuidados sem o uso de qualquer forma de violência.

Da esquerda pra direita: Elisabeth Dahlm, Marta Suplicy, Maria do Rosário, Rainha Silvia, Xuxa Meneghel e Manuela D´Avila. 

Rio de Janeiro, 20 de maio de 2011
Por: Marcia Oliveira – Rede Não Bata, Eduque

Xuxa Meneghel representou a Rede Não Bata, Eduque na abertura de Seminário na Câmara dos Deputados 

Nossa porta-voz, Xuxa Meneghel, emocionou as pessoas na abertura do Seminário sobre Experiências de Legislação Contra Castigos Corporais de Crianças e Adolescentes. O encontro abordou a urgência de uma reforma legal que proteja integralmente às crianças e adolescentes com os castigos corporais e tratamento humilhante, através da aprovação do projeto de lei nº 7672/2010. 

Foram apresentados os resultados positivos dos 31 anos da aprovação de lei semelhante na Suécia, primeiro pais do mundo a ter uma lei contra os castigos corporais, e a experiência de nossos vizinhos Uruguai, Venezuela e Costa Rica, que já tem leis sobre o tema.

 “Não é uma lei contra a palmada. É a lei do amor, do respeito. As crianças merecem ter os direitos que vocês (adultos) têm”. 

"… ainda vivemos em uma cultura atrasada quando o assunto é violência contra as crianças. Um dia a escravidão ou até mesmo bater em mulher foi normal …". 

“A gente não aprende com dor”. 

"Que as pessoas possam entender que a gente não quer se meter na vida dos outros, e sim fazer com que a criança tenha o direito de ser respeitada", 

"As pessoas dizem ‘quero acabar com a violência nas ruas’. Então acabe com a violência em casa", frases da porta- voz da Rede Não Bata, Eduque – a apresentadora Xuxa Meneghel, 

“O castigo físico não pode ser considerado pratica pedagógica”. 

“Um Brasil de paz depende desse projeto de lei”. 

“O projeto não prevê nenhuma intervenção familiar, não pressupõe qualquer alternativa que macule os responsáveis pelas crianças. Trata-se de uma lei sobre o amor e sobre o cuidado”, frases da Ministra de Direitos Humanos – Maria do Rosário.

 “Os castigos físicos têm efeitos devastadores e abrem espaço para outras formas de violações, como o abuso sexual”, frase da Rainha Silvia da Suécia, primeiro pais do mundo a ter uma lei sobre o tema e fundadora de uma organização internacional que trabalha contra o abuso e exploração sexual de crianças.

 “Muitas vezes as sandálias são utilizadas para bater as crianças. Vamos utilizá-las somente para o que foi fabricada. Vamos usar as sandálias para caminhar ao lado de nossas crianças”, frase da Secretaria Geral de Save the Children Suécia - Elisabeth Dahlin. 

“A infância é muito curta, porém os efeitos dos castigos corporais perduram por toda a vida”, frase do Coordenador da organização Cecodap, Venezuela – Carlos Trapani, A Venezuela foi o segundo país da região a aprovar uma lei pelos bons tratos e contra os castigos físicos. 

Durante o seminário a Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Manuela D`Avila (PCdoB/RS), compromete-se em instalar na próxima semana a Comissão Especial que discutirá o tema e o Presidente do Senado, José Sarney (PMDB/AP) prometeu agilizar a tramitação do projeto quando o texto chegar ao Senado. 

A Rede Não Bata, Eduque está muito feliz com os avanços e seguiremos em frente dispostos a dialogar com os parlamentares e a sociedade civil sobre o assunto e conseguirmos garantir o direito das crianças e adolescentes a serem educados e cuidados sem o uso de qualquer forma de violência.

Da esquerda pra direita: Elisabeth Dahlm, Marta Suplicy, Maria do Rosário, Rainha Silvia, Xuxa Meneghel e Manuela D´Avila. 

Rio de Janeiro, 20 de maio de 2011

Por: Marcia Oliveira – Rede Não Bata, Eduque

No dia 19 de maio, na Câmara dos Deputados em Brasília, será realizado o “Seminário sobre Experiências de Legislação Contra Castigos Corporais de Crianças e Adolescentes”. Iniciativa que promoverá a discussão qualificada e mobilizará a sociedade brasileira em prol de uma violência que é invisível e que aflige milhares de crianças no Brasil e no mundo.

No dia 19 de maio, na Câmara dos Deputados em Brasília, será realizado o “Seminário sobre Experiências de Legislação Contra Castigos Corporais de Crianças e Adolescentes”. Iniciativa que promoverá a discussão qualificada e mobilizará a sociedade brasileira em prol de uma violência que é invisível e que aflige milhares de crianças no Brasil e no mundo.